Funcionários do Hospital Maria Lucinda participam de treinamento

Visando capacitar os porteiros e monitores de vídeo para que possam desempenhar suas funções com excelência, o setor de Hotelaria do Hospital Maria Lucinda, sob a coordenação de Maria Silva, promoveu mais uma capacitação, no dia 30 de junho, no Centro de Estudos.

A programação do evento que reuniu 30 profissionais contou com as palestras: Segurança patrimonial, ministrada pelo consultor em segurança patrimonial Gabriel Pereira (manhã) e Atendimento ao cliente, proferida por Marina Silva (tarde). Os participantes também desfrutaram de café da manhã, coffee break e almoço.

De acordo com Marina Silva, o objetivo do treinamento foi capacitar os funcionários para que eles possam refletir os padrões de ética e qualidade no atendimento buscando desempenhar um serviço de segurança com ação ostensiva e preventiva para garantir a excelência na prestação dos serviços oferecidos aos usuários e funcionários da instituição.

Hospital Maria Lucinda comemora a 5ª edição da Semana do Meio Ambiente

Quando o assunto é preservação do Meio Ambiente, o Hospital Maria Lucinda é destaque entre as unidades hospitalares do Estado. Além de economizar energia através do sistema do uso de placas solares, a instituição também investe na coleta seletiva do lixo e possui um coletor para que o descarte do óleo de cozinha seja feito de forma sustentável. Além disso, o Maria Lucinda contará com uma Oficina de Reciclagem direcionada para os funcionários.

Todos os anos, o hospital ainda realiza uma série de atividades em comemoração à Semana do Meio Ambiente. Nesta quinta edição, a data foi comemorada entre os dias 18 e 21 de junho, com uma programação que contou com palestras e a IV exposição de trabalhos produzidos com materiais reciclados e confeccionados pelos próprios funcionários.

O encerramento da programação foi realizado no Centro de Estudos, com uma palestra sobre o tema: Vamos acabar com a poluição plástica nos oceanos, ministrada pela Supervisora de Educação e Saúde Ambiente do Distrito Sanitário III Solange Mota; pela biológica residente da UPE Maria Isabel Ferreira, e doutorandas da UPE Laís Holanda e Laiz Araújo. O evento reuniu gestores, profissionais de saúde, demais funcionários, irmãs de caridade, pacientes e acompanhantes.

Marina Silva, uma das organizadoras da Semana do Meio ambiente e coordenadora do projeto, afirma que o objetivo dessas atividades é mobilizar tanto os funcionários quanto todas as pessoas que chegam à instituição para importância da preservação do Meio Ambiente. “Dessa forma, acreditamos que cada um pode se tornar multiplicadores, incentivando e educando seus filhos e familiares, agregando valores e conhecimento em prol da manutenção dos recursos naturais”, declarou Marina.

 

 

“Arraiá” esquenta os pacientes da Fisioterapia do Maria Lucinda

A humanização é um dos pilares de sustentação do Hospital Maria Lucinda há 89 anos de sua história.  E neste mês da tradicional festa dos nordestinos, profissionais do setor de Fisioterapia promoveram, no dia 14 de junho, no auditório do Educandário Casa da Providência, um grande “arraiá” para que os pacientes entrassem no clima junino e esquecessem as dificuldades de suas enfermidades.

No evento, que reuniu muitos pacientes, gestores e colaboradores de diversas áreas da instituição, a animação foi embalada ao ritmo do forró pé-de-serra, e para completar o clima, foi montada uma mesa com comidas típicas com canjica, milho, pamonha, bolo, mungunzá e, para encerrar, uma improvisada quadrilha foi formada com muitos participantes.

“Fizemos a festa com muito carinho com o objetivo de promover um momento agradável para os nossos pacientes e a alegria estampada no rosto de cada um mostrou que alcançamos a meta. Agradecemos a Deus pela oportunidade, aos funcionários do Hospital e da Casa da Providência por todo o apoio, além de um agradecimento especial aos nossos pacientes, pois sem a presença deles essa festa não seria possível. A felicidade deles é o nosso combustível para continuar fazendo o melhor”, afirmou a fisioterapeuta Marcella Macário, uma das organizadoras do “arraiá.”

Hospital Maria Lucinda comemora 89 anos com Missa em Ação de Graças

Diretores do Maria Lucinda

Os sentimentos de gratidão, alegria e entusiasmo eram visíveis entre os gestores, funcionários, pacientes e irmãs de caridade que participaram da Missa em Ação de Graças, em comemoração aos 89 anos de serviços prestados aos mais necessitados, que buscam atendimento no Hospital Maria Lucinda, celebrada pelo Padre Marcelo Silva, no dia 13 de junho, na Capela do Colégio Virgem Poderosa.

Para saudar os presentes a irmã Fabíola, diretora financeira, falou da felicidade que sentia, e acreditava ser comum a todos que fazem parte da família Maria Lucinda, com muita dedicação e disposição de fazer a cada dia o melhor as centenas de pessoas carentes.

Durante a liturgia, o Padre Marcelo Silva reforçou o cuidado de Deus com a instituição e falou da importância da fé.  “Jesus nos ensina a acreditar que Deus está agindo a nosso favor. Ele nos mostra, através da sua palavra, que apesar das nossas falhas tem cuidado de nós”, pontuou. O Padre também citou a passagem de Filipenses 4:6 em que o apóstolo Paulo afirma que não devemos andar ansiosos. “É nisso que devemos nos apegar, pois o ansioso deixa de ver muitas coisas e, principalmente, de agradecer. Temos apenas que continuar fazendo o nosso melhor, pois o resultado sempre aparece”, reforçou.

Em seu discurso o superintendente do Hospital Maria Lucinda, Luiz Alberto Araújo, falou emocionado da alegria em poder presenciar as conquistas do hospital que ainda tem muito a crescer. “A trajetória do hospital é marcada por vitórias e conquistas. Temos orgulho de participar dessa instituição. A ‘semente’ plantada pelo comendador Manoel da Silva Almeida cresceu, prosperou e tem dado fruto cada vez maior. É importantíssimo continuarmos com a dedicação, amor ao próximo, humanismo e ética. Esses são os pilares de sustentação e ensinamentos que nossos antecessores nos deixaram. Esse espírito é o maior legado dessa instituição, da Família Maria Lucinda”, declarou.

Já o presidente do Hospital, Arnaldo Almeida, falou da sua alegria em estar à frente da instituição e parabenizou todos os funcionários. “Hoje é um dia de muita alegria. Eu sou eternamente grato a Deus por ter me concedido a oportunidade de dar continuidade a essa obra que tem ajudado pessoas de diversas localidades. Hoje também é dia agradecer aos funcionários, pois tudo que conseguimos fazer é fruto da união e dedicação de cada um”, afirmou.

A diretora administrativa, Ana Cristina, também fez agradecimentos. “Os 89 anos do Maria Lucinda têm um significado especial para cada um de nós. É, sem dúvidas, a prova do cuidado de Deus, pois passamos por muitas dificuldades e sem a ajuda d’Ele não seria possível chegar até aqui. O nosso plano agora é caminhar para o 90° aniversário e depois para o 100°. Para isso, contamos com a dedicação de todos nossos colaboradores “ressaltou.

“Eu só tenho a dizer que estou muito fez por ainda continuar trabalhando aqui. Acredito que sou uma pessoa privilegia, pois apesar da idade avançada, ainda tenho saúde para cooperar com o crescimento desta instituição que trata os pacientes com dignidade, amor e carinho. Nossa expectativa é continuar crescendo”, finalizou a neta do fundador e presidente da SAHIMA, Irene Almeida.

A programação também contou com muitos cânticos, declamação de poesia e uma paródia em homenagem ao aniversário. Todas essas atividades foram feitas pelos próprios funcionários.

Ao final, foi servido um almoço, e realizado o tradicional corte do bolo, no auditório do Colégio. A decoração junina, desenvolvida especialmente para o evento, foi assinada pelo setor de Hotelaria.

 

Violência contra criança e adolescente é discutida no III Seminário promovido pelo Serviço Social do Hospital Maria Lucinda

Pesquisa aponta que 50% dos estupros registrados no país são contra crianças de 0 a 13 anos no período de 2011 a 2016 

Com a presença de estudantes e profissionais de serviço social, educação, saúde e defensores dos direitos das crianças e dos adolescentes, o Hospital Maria Lucinda realizou, no dia 8 de junho, sob a coordenação do Serviço Social, o III Seminário da Violência contra criança e adolescente com o tema: O grito do silêncio: a violência sexual contra criança e adolescente, a ferida que não cicatriza.

Durante a abertura, a coordenadora do Serviço Social da instituição, Fátima Santana, destacou a importância do evento. “A cada edição o Seminário tem atraído mais interessados e isso tem nos deixado muito felizes, pois reforça que nossa dedicação tem sido válida.  A violência pode se manifestar de inúmeras formas e estar mais perto do que imaginamos. Por isso, precisamos observar o comportamento das nossas crianças e   agir o mais rápido possível, quando for necessário – Grito do silêncio”, ressaltou Fátima.

Entre os profissionais presentes o ex-coordenador-Geral dos Conselhos Tutelares de Olinda e atual conselheiro tutelar de Olinda I, Luiz Carlos Cândido, que ministrou a palestra “A Violência sexual contra criança e adolescente e a rede de proteção”.  Luiz Carlos apresentou números do mapa da violência de 2011 a 2016, que aponta dados alarmantes:  cerca de 50% dos estupros registrados no país são contra crianças de 0 a 13 anos. “Somos os agentes que promovem a proteção, não podemos nos calar. Ao ter conhecimento sobre os casos de violência é necessário acionar a Conselho Tutelar, Delegacia de Proteção a criança e o adolescente (DPCA), entre outros órgãos responsáveis. Não podemos ficar calados, diante dessa triste realidade”, afirmou.

Dentro da programação a apresentação de uma peça teatral e exposição de trabalhos, todos realizados por alunos da Escola Estadual São Judas Tadeu parceira da instituição de saúde,  apresentando   os três tipos de violência mais frequentes: física, moral e psicológica.  Uma pesquisa desenvolvida e aplicada na escola por professores e alunos também foi apresentada. Intitulada de: A Educação que Protege e Defende os Direitos da Criança e do Adolescente”.

No seminário ainda foram discutidos os temas  A convivência familiar e comunitária como direito fundamental à proteção integral da criança e do adolescente no Brasil, apresentado pelo psicólogo do Anderson Ferreira do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (COMDICA); e Possibilidades e desafios para o enfrentamento da violência contra a criança e adolescente no Brasilpela assistente social do Programa do Direito da Criança e Adolescente do Centro Dom Helder Câmara de Estudos e Ação Social (Cendhec), Michelle Rodrigues.

Foto: Secretaria Estadual de Educação

 

Foto: Secretaria Estadual de Educação

 

Foto: Secretaria Estadual de Educação

15ª edição Forró da Mamãe bombou com Nena Queiroga e convidados

 

Solidariedade e muito arrasta-pé marcaram a 15ª edição do Forró da Mamãe, realizado no dia 24 pela Sociedade dos Amigos do Hospital Infantil Maria Lucinda (SAHIMA), a sede da AABB. O salão ficou pequeno para o público que abraçou a ideia do autêntico forró pé-de-serra solidário com shows comandados pela madrinha da festa, Nena Queiroga, e seus convidados.

Anfitriã do Forró da Mamãe há nove anos, Nena recebeu grandes nomes da música pernambucana para cantar sucessos do forró, acompanhados durante toda a festa por Leandro Melo e banda. Participaram Irah Caldeira, Novinho da Paraíba, Cristina Amaral, Damião Mota, Luizinho de Serra, Marco Santana e João Victor, Marcia Pequeno, Benil, Ed Carlos, Fabiana Pimentinha, Jorge de Altinho e Rogério Rangel.

“Foi a primeira festa solidária que abracei e me comprometi a fazer todas. O Forró da Mamãe é o meu xodó. Quando se trata de causas e projetos em prol de instituições sérias, todos os forrozeiros topam na hora. E, é bom porque a gente já se confraterniza e se energiza para começar o São João com o espírito leve e com todo gás”, comentou.

“Mais uma vez, a festa está linda. Um sucesso, graças ao nosso BOM Deus”,  disse animada , a presidente da SAHIMA, Dona Irene Almeida, no auge dos seus 89 anos.  O superintendente do Maria Lucinda, Luiz Alberto de Araújo disse que o Forró da Mamãe já faz parte do calendário da cidade. “É uma festa que já virou tradição. Há quem diga que já é a abertura do São João do Recife, porque reunimos famílias inteiras dos profissionais do Hospital, de amigos e parceiros para juntos dançarem o autêntico forró com artistas nordestinos consagrados, todos unidos num só ritmo: solidariedade. O que tem contribuído a cada edição com o trabalho desenvolvido, há 89 anos, pelo Maria Lucinda à população usuária do SUS.

 

Palestras sobre violência contra a mulher marcam Semana da Enfermagem e do Serviço Social do Hospital Maria Lucinda

Eu Escolho uma Vida sem Violência. E você? ”

A violência contra a mulher fez parte dos temas abordados na edição deste ano da “Semana da Enfermagem e do Serviço Social”, promovida pelo Hospital Maria Lucinda, para homenagear os profissionais das áreas. Na programação, uma série de atividades: debates, homenagens e apresentações culturais.

Diversos gestores do Maria Lucinda e das unidades administradas pela Fundação Manoel da Silva Almeida, profissionais de saúde e convidados estiveram reunidos no encerramento das comemorações, no dia 15 de maio, no auditório do Colégio Virgem Poderosa. Na ocasião, apresentação cultural das alunas do Colégio São Judas Tadeu, que foram acompanhadas pela professora Ana Paula Andrade Fontes De Oliveira, e as palestras “Punição e Prevenção”, ministrada pela delegada do Departamento de Polícia da Mulher de Pernambuco, Gleide Ângelo; “Violência contra Mulheres Negras”, apresentada pela assistente social da UFPE, Silvana Nascimento; além de “Acolhimento às Mulheres Vítimas de Violência”, proferida pelas representantes do Centro de Referência Clarice Lispector, Josilene de Melo Carvalho e Maria Lúcia Jordão Pinheiro.

Representando a direção do hospital, a diretora Administrativa Ana Cristina Passavante falou sobre a importância do tema. “Quero parabenizar ao Serviço Social, à Enfermagem e à Medicina do Trabalho por essa iniciativa. Dizer que é um tema bastante relevante e que ficamos muito felizes em debater esse assunto, porque acreditamos que só através do conhecimento  as mulheres podem se defender.  Espero que seja um momento de integração e aprendizado para todos”, disse.

A delegada Gleide Ângelo agradeceu o convite e enfatizou a relevância do trabalho dos profissionais de saúde em casos de violência doméstica. “Como profissionais de saúde, vocês possuem um papel fundamental nesse processo. Porque têm o contato direto com a vítima, podendo auxiliar no acolhimento e enfreamento desse mal, que infelizmente ainda acomete tantas mulheres”, destacou.

UPA Caxangá comemora 8 anos de funcionamento registrando quase 1,5 milhão de atendimento

“Um agradecimento especial aos gestores, servidores e amigos do Hospital Maria Lucinda, que nos ensinam a fazer sempre mais com menos, a cada obstáculo que surge”.

No final da tarde do dia 10 de abril, o pequeno paciente Luiz Pablo Macedo, de 7 anos, foi quem apagou as velas do bolo que marcou a comemoração dos 8 anos de funcionamento da UPA Caxangá, administrada desde sua  fundação com a experiência exitosa  do Hospital Maria Lucinda, que se dedica a atender os usuários do SUS há  88 anos,  através da Fundação Manoel da Silva Almeida.

O garoto, filho da dona de casa Suelane Macedo, vem sendo atendido na unidade desde os dois anos de idade, quando sofreu sua primeira crise de asma. Ele é um dos mais de 1 milhão de pacientes atendidos pela UPA desde sua inauguração em 2010.

A comemoração foi simples, mas com dose exagerada de carinho, que sempre faz bem. Para celebrar a data, a diretora-geral da UPA, Josa Almeida, reuniu gestores, funcionários, parceiros e pacientes numa festinha de confraternização. “Saúdo aqui a todos e agradeço a disponibilidade, o carinho e a dedicação de cada um de vocês que nos ajudam todos os dias. Também faço um agradecimento especial aos gestores, servidores e amigos do Hospital Maria Lucinda, que nos ensinam a fazer sempre mais com menos, a cada obstáculo que surge”, ressaltou, emocionada, a diretora.

Também prestigiaram a comemoração a Irmã Maria José; Marina Silva, que representou o superintendente do hospital; o médico Luiz Alberto de Araújo; a diretora administrativa, Ana Cristina Passavante; a diretora-médica da UPA, Audrey Vasconcelos; a coordenadora Administrativa, Geórgia Assunção; o coordenador Administrativo e Financeiro da UPA Nova Descoberta, Júnior Passavante; e, por último, a apoiadora da UPA na Secretaria de Saúde do Estado, Andrea Rocha, que fez questão de demonstrar seu carinho pela unidade. “É uma grande satisfação participar do aniversário da UPA. Esta unidade mora em meu coração. É bonito ver uma gestão tão bem entrosada, com equilíbrio e determinação em prol dos que aqui buscam atendimento”, disse.

Ainda houve a apresentação de um vídeo de motivação e agradecimento, uma oração conduzida pela Irmã Maria José, o esperado “Parabéns para você!” e o corte do bolo.

Números – Cerca de 1,5 milhão de atendimentos médicos e mais de 1 milhão de exames diagnósticos de radiologia, eletrocardiogramas e laboratoriais. Esses são os números computados pela UPA da Caxangá ao longo dos seus 8 anos de existência. No segmento de classificação de risco, foram 33.600 atendimentos na emergência; 434.949 na urgência; 716.484 na não emergência e 29.962 no atendimento social. “Em relação aos pacientes atendidos na Unidade, apenas 4,9% foram transferidos, reforçando a alta resolutividade da UPA”, comemora Josa Almeida.

Página 1 de 512345