Hospital Maria Lucinda promove ação de conscientização dos cuidados de bebês prematuros

De acordo com o Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente, no Brasil, cerca de 340 mil bebês nascem prematuros todos os anos, ou seja, antes de completar 37 semanas. Esse nascimento precoce acaba ocasionando diversos problemas para o bebê que vão além do baixo peso, precisando assim de cuidados especiais na UTI. Para conscientizar sobre as questões ligadas ao nascimento prematuro, foram instituídos o Novembro Roxo e o Dia Mundial da Prematuridade (27.11).

Em alusão à data, o Hospital Maria Lucinda promoveu um encontro, no dia 17, na área externa da UTI Pediátrica. O evento foi prestigiado pela diretora financeira  Irmã Fabíola Alencar, pela coordenadora Médica e de Enfermagem da UTI Neonatal, Gerlane Oliveira e Jackeline Diniz, respectivamente, profissionais da unidade, ex-prematuros e seus familiares, além de diversos colaboradores da instituição.

Durante a abertura, a irmã Fabíola Alencar falou sobre a alegria e os desafios dos papais e profissionais de saúde que atuam na UTI Neo. “Que alegria! Aqui tem ex-pacientes da UTI Neonatal, pais de pacientes e  profissionais. São experiências diferentes, mas que se complementam. São os pais que vivem com o coração apertado porque uma parte importante deles está aqui;  e  vocês, que se dedicam 24 horas com amor e zelo, que vão além da exigência profissional, porque amam o que fazem. Vocês criam laços, se envolvem. Diferente dos adultos, as crianças da UTI não passam um período curto, mas ficam dias, meses e até anos se recuperando. Não há palavras para descrever o carinho e o amor que esses familiares têm pelos profissionais de saúde, pelo acolhimento, atenção e sensibilidade”, ressaltou.

“Hoje é um dia de ação de graças. Precisamos render graças a Deus pelo benefício da vida, da esperança, do benefício de saber que juntos, com Deus, podemos operar maravilhas na vida dessas crianças.  E é muito bom testemunhar o amor de Deus a todo momento na vida dessas crianças. O patrono deste espaço é o menino Jesus, que tem uma história parecida com os pacientes daqui. O menino Deus foi entregue a um casal para ser cuidado e, da mesma forma, vocês confiaram os filhos aos nossos cuidados. Que Deus abençoe todos vocês”, afirmou.

“O pós-nascimento de um bebê prematuro é uma fase delicada, porque existe uma expectativa para a chegada do bebê e acaba não sendo correspondida, porque o bebê é  abaixo do peso e necessita de cuidados especiais. A angústia para essas famílias é longa, pois muitos desses bebês passam muito tempo internados. Há bebês que já estão grandes, mas ainda continuam conosco porque têm problemas pulmonares. E esse encontro serve para estreitar o relacionamento entre famílias, profissionais e bebês, e para que essas crianças saiam daqui da melhor maneira possível”, enfatizou  Gerlane Oliveira.

 “Este Novembro Roxo chama a atenção para os cuidados especiais dedicados a esses bebês, que ficam muito tempo distantes dos pais e, principalmente, da mãe. Este evento é uma homenagem aos bebês e ainda aproxima o binômio: mãe e filho”, explicou Jackeline Diniz.

 Entre os familiares presentes estava Karina Mikaelly, mãe de gêmeas de quatro meses. “Uma das minhas filhas está internada aqui há três meses e eu só tenho a agradecer o que a equipe do Maria Lucinda tem feito por ela. Eles tratam os nossos filhos como se fossem deles, é visível o carinho e cuidado com os pacientes”, ressaltou.

Por fim, foi feita a oração do Pai Nosso e houve o tradicional corte de bolo. 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *