Palestras sobre violência contra a mulher marcam Semana da Enfermagem e do Serviço Social do Hospital Maria Lucinda

Eu Escolho uma Vida sem Violência. E você? ”

A violência contra a mulher fez parte dos temas abordados na edição deste ano da “Semana da Enfermagem e do Serviço Social”, promovida pelo Hospital Maria Lucinda, para homenagear os profissionais das áreas. Na programação, uma série de atividades: debates, homenagens e apresentações culturais.

Diversos gestores do Maria Lucinda e das unidades administradas pela Fundação Manoel da Silva Almeida, profissionais de saúde e convidados estiveram reunidos no encerramento das comemorações, no dia 15 de maio, no auditório do Colégio Virgem Poderosa. Na ocasião, apresentação cultural das alunas do Colégio São Judas Tadeu, que foram acompanhadas pela professora Ana Paula Andrade Fontes De Oliveira, e as palestras “Punição e Prevenção”, ministrada pela delegada do Departamento de Polícia da Mulher de Pernambuco, Gleide Ângelo; “Violência contra Mulheres Negras”, apresentada pela assistente social da UFPE, Silvana Nascimento; além de “Acolhimento às Mulheres Vítimas de Violência”, proferida pelas representantes do Centro de Referência Clarice Lispector, Josilene de Melo Carvalho e Maria Lúcia Jordão Pinheiro.

Representando a direção do hospital, a diretora Administrativa Ana Cristina Passavante falou sobre a importância do tema. “Quero parabenizar ao Serviço Social, à Enfermagem e à Medicina do Trabalho por essa iniciativa. Dizer que é um tema bastante relevante e que ficamos muito felizes em debater esse assunto, porque acreditamos que só através do conhecimento  as mulheres podem se defender.  Espero que seja um momento de integração e aprendizado para todos”, disse.

A delegada Gleide Ângelo agradeceu o convite e enfatizou a relevância do trabalho dos profissionais de saúde em casos de violência doméstica. “Como profissionais de saúde, vocês possuem um papel fundamental nesse processo. Porque têm o contato direto com a vítima, podendo auxiliar no acolhimento e enfreamento desse mal, que infelizmente ainda acomete tantas mulheres”, destacou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *