Quinta edição do Workshop da Pessoa Idosa no Hospital da Família Maria Lucinda discute o empoderamento e os direitos da pessoa idosa

Segundo o IBGE, em 2017, havia 28 milhões de idosos no Brasil, esse número deve dobrar até 2042

 O empoderamento e os direitos da pessoa idosa foram tema da quinta edição do Workshop da Pessoa Idosa, realizado pelo Hospital da Família Maria Lucinda na tarde da quarta-feira (30). O encontro reuniu idosos, estudantes e profissionais de serviço social no auditório da Casa da Providência.

Realizado anualmente no mês em que se celebra o Dia Internacional do Idoso, comemorado no dia 1º de outubro, nessa 5ª edição foi discutido “A pessoa idosa: direitos, empoderamento, prevenção e violência”.

A primeira palestra foi ministrada por Anita Reno Morethe, assistente social especialista em Saúde da Pessoa Idosa do IMIP. Anita falou sobre as diferentes fases do envelhecimento. “Hoje já se começa a pensar num idoso que consegue ter uma rotina maior e melhor, sendo empreendedor, provedor, com diretrizes e direitos fundamentais que o protegem”, analisou.

Em seguida, foi a vez de Eliane Ferreira, psicóloga, especialista em Psicologia da Educação, que explicou o que são tristeza e depressão, chamando a atenção para a diferença entre elas. “Temos que entender a importância da família nesse cenário, porque é preciso ficar atento a todos os sinais que o idoso pode dar”, explicou.

A reforma da previdência, em tramitação no Congresso Brasileiro, foi o tema da palestra da assistente social e professora da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Laudicena Barreto. “A pessoa idosa da classe trabalhadora precisa estar ciente dos seus direitos sociais, das leis que a protegem e da sua autonomia econômica. É uma mudança que vai afetar milhões de brasileiros e, por isso, deve ser acompanhada de perto”, disse a especialista.

A coordenadora do Serviço Social do Hospital da Família Maria Lucinda, Maria de Fátima de Santana, diz que o evento é muito relevante para que o idoso encontre seu espaço na sociedade. “Precisamos abordar a questão do empoderamento do idoso para que todos saibam que a realidade mudou: o idoso de hoje é atuante e deve ser respeitado”, comentou.

Encerrando a 5ª edição do workshop, foi oferecido um coffee break e foram distribuídos kits informativos e educativos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *