UPA Caxangá promove palestra: Impacto na Saúde Mental durante a Pandemia Setembro Amarelo mês de conscientização sobre o suicídio

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 32 pessoas se suicidam por dia no Brasil, o que significa que o suicídio mata mais brasileiros do que doenças como a AIDS e o câncer.

Para tentar diminuir essa estatística, em 2015, surgiu o Setembro Amarelo, campanha que visa conscientizar as pessoas sobre o suicídio, ato motivado pela depressão profunda. Com o objetivo de debater o tema com os profissionais e usuários da unidade, a UPA Caxangá promoveu a palestra Impacto na Saúde Mental durante a Pandemia, no Dia Mundial de Prevenção do Suicídio (10 de setembro).

Durante a palestra, proferida pelo ortopedista da unidade Filipe Mesquita, foram apresentados os fatores que estimulam a depressão, os sinais de que a pessoa tem pensamentos que podem levar ao suicídio e as formas de ajudar essas pessoas que expressam a possibilidade do ato.

“Precisamos ficar atentos a mudanças bruscas no comportamento de amigos e familiares para ajudá-los quando for necessário. Muita gente fica deprimida por inúmeros motivos, a exemplo de problemas familiares ou no trabalho. Essa depressão se apresenta através do isolamento social, irritação exagerada, abuso de bebidas alcoólicas e drogas ilícitas, além da dificuldade de realizar tarefas simples que fazem parte da rotina”, afirmou o médico.

Ainda de acordo com Filipe Mesquita, muitas vezes, essas pessoas querem ser ouvidas, mas não têm coragem de falar. “Cabe a cada um de nós se esforçar para ouvi-las e ajudá-las a encontrar um profissional da área de saúde metal, como psiquiatra e psicólogo, para receber a assistência necessária. O número 188, do Centro de Valorização da Vida (CVV), também pode ser indicado para essas pessoas”, finalizou.

A Diretora-Geral da UPA Caxangá, Josa Almeida, explica a importância da ação. “Nos últimos seis meses, a nossa unidade atendeu 24 pacientes com intoxicação exógena por tentativa de suicídio. Esse quantitativo significa, em média, uma vítima por semana.  É um dado preocupante. Por isso, ações como essa são de extrema importância, porque além de alertar, também incentiva a população a procurar por apoio profissional especializado”, afirmou Josa Almeida.

Na ocasião, houve distribuição de fôlderes explicativos e o ambiente foi decorado com balões na cor amarela e adesivos referentes à data.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *